Vereadores e MP debatem redução dos auxiliares de sala nas escolas do município

thumbnail_Comissão Saúde - Foto ELPÍDIO JÚNIOR (2)
 
A Comissão de Educação da Câmara de Natal repercutiu, nesta segunda-feira (13), a reunião realizada com a promotora de Educação Zenilde Alves sobre a diminuição do número de educadores assistentes e auxiliares de sala nas escolas da rede municipal de ensino da Capital. O encontro aconteceu na última terça-feira (07) e contou com a presença da vereadora Eleika Bezerra (PSL) e do vereador Dinarte Torres (PMB), além de educadores infantis, gestores dos Centros de Educação Infantil (CMEI’s) e responsáveis pelas crianças matriculadas nestas instituições.
De acordo com a vereadora Eleika Bezerra, a retirada dos auxiliares de sala, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SME), sob a justificativa de contenção de gastos, gerou diversos transtornos, que impedem um atendimento de qualidade para as crianças. “Os professores precisam de auxílio para atender à elevada demanda de alunos na educação infantil do município que, aliás, carece de vagas para todas as crianças”, defendeu a presidente da Comissão de Educação, com a anuência da vereadora Nina Souza (PEN) e do vereador Sandro Pimentel (PSOL).
Segundo ela, a promotora Zenilde Alves observou que os auxiliares trabalham como estagiários, haja vista que não existe na estrutura da SME o cargo público destes profissionais e sugeriu ao Conselho Municipal de Educação uma nova resolução, para atualizar as balizas da educação infantil e observar os parâmetros mínimos do Conselho Nacional de Educação no que tange à organização das salas de aula.
“Então, diante da problemática vivenciada diariamente pelos educadores, crianças e seus pais, no âmbito dos CMEI’s, se faz urgente e necessária a tomada de providências quanto ao assunto, sendo imprescindível a contratação de estagiários/auxiliares para que haja um digno atendimento às crianças da rede municipal de ensino. A avaliação que faço do encontro é positiva porque o Ministério Público vai nos ajudar a mediar o impasse”, concluiu Eleika.
Por fim, um Projeto de Lei apresentado pela vereadora Júlia Arruda (PDT) que trata da garantia de vagas nas escolas para alunos filhos de mulheres vítimas de violência doméstica ou que tenham mudado de endereço. A matéria foi encaminhada para a relatoria da vereadora Nina Souza.
 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *