Polícia Federal prende 11 por suspeita de fraude ao Enem 2016

O delegado da Polícia Federal Franco Perazzoni informou que 11 pessoas foram presas neste domingo (6) em duas operações realizadas em 8 estados para combater fraudes contra o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).,

Perazzoni disse que todos os presos foram flagrados usando ponto eletrônico. Entretanto, não soube informar quantos estavam fazendo a prova e quantos passavam o gabarito.

“As investigações prosseguem e amanhã [segunda] vamos sentar com o Inep [para continuar cruzando os gabaritos]”, afirmou Perazzoni sobre a apuração para identificar se houve mais fraudes do que as situações já descobertas.

A PF realizou duas operações em pelo menos 8 estados para combater fraudes contra o Enem, que aconteceu neste final de semana. Uma delas foi em Montes Claros (MG) e teve como alvo uma organização criminosa suspeita de utilizar uma central de telefonia celular e pontos eletrônicos para repassar informações aos candidatos, que cobrava até R$ 180 mil por gabarito. A outra operação aconteceu em estados do Norte e Nordeste e investiga 22 pessoas também suspeitas de fraudar o exame.

Informações?: G1 RN

Leia Mais

Trump faz maratona por votos na reta final e visita cinco Estados em um dia

Informações: Folha de São Paulo
Informações: Folha de São Paulo

Donald Trump percorreu mais de 2.400 quilômetros neste domingo (6), com comícios em cinco Estados, num de seus últimos esforços para chegar na frente da rival, Hillary Clinton, na corrida presidencial que termina com a eleição desta terça.

O roteiro de Trump teve alguns dos chamados “campos de batalha” –Estados onde as disputas estão apertadas e serão decisivos para definir quem será o sucessor de Barack Obama na Casa Branca.

Mas também incluiu uma aposta ousada: Minnesota, que desde 1972 não escolhe um candidato presidencial republicano.

No comício em Minneapolis, o republicano não comentou explicitamente a notícia divulgada pouco antes, de que o diretor do FBI (polícia federal), James Comey, havia mantido a decisão de não recomendar o indiciamento de Hillary pelo uso de um servidor privado de e-mail quando secretária de Estado.

Mas Trump não deu o caso por encerrado. “Hillary Clinton estará sob investigação por muito tempo”, disse o bilionário, arrancando gritos da plateia em favor da prisão da democrata.

Após ter elogiado o FBI por retomar a investigação, Trump voltou a acusar o “sistema” de favorecê-la. “É um sistema fraudulento, e ela está protegida.”

Leia Mais

Em Estados-chave, Hillary batalha por voto negro que ajudou Obama

Informações: Folha de São Paulo
Informações: Folha de São Paulo

A menos de dois dias das eleições, o astro do basquete americano LeBron James subiu ao palco de um centro de convenções em Cleveland com Hillary Clinton neste domingo (6) para dizer que cresceu na cidade acreditando “que seu voto não importava”. “Mas ele importa, e temos que sair e votar.”

Para Hillary, na reta final, os votos negros que Lebron James –e o casal Jay Z e Beyoncé, que também fizeram campanha por ela na cidade na sexta (4)– podem trazer importam muito.

Especialmente em Ohio, onde a democrata perdeu o importante apoio que seu partido tinha entre a classe operária branca. Nas pesquisas, ela foi ultrapassada por Donald Trump em outubro, e na Carolina do Norte, viu a vantagem de três pontos desaparecer.

Neste domingo, Trump se mantinha com 2,8 pontos a mais em Ohio, na média das sondagens do Real Clear Politics, e com vantagem de 1,5 na Carolina do Norte.

Os Estados, com 18 e 15 votos no Colégio Eleitoral, respectivamente, são imprescindíveis para a vitória do republicano –e Hillary precisa freá-lo em ao menos um.

No discurso em Cleveland, neste domingo, ela se concentrou na necessidade de geração de empregos –entre os negros, o desemprego no Estado é de 11%. “Quero uma América onde todos tenham um lugar.”

Apesar de os negros serem só 12,2% do eleitorado em Ohio, foi no condado de Cuyahoga, que engloba Cleveland e tem a maior concentração negra do Estado, que Barack Obama ganhou 70% dos seus votos em 2012, vencendo Mitt Romney.

E é de Obama, seu maior cabo eleitoral com a minoria, que Hillary precisa mais para melhorar os números de votos negros, que têm sido abaixo do esperado nos Estados com votação antecipada.

O presidente fez comícios em Ohio e na Carolina do Norte na última semana. Neste último Estado, que tem 21,3% de negros entre os eleitores, Obama levou mais de 95% dos votos em 2008 –quando 95% dos eleitores negros ali foram às urnas.

Segundo um levantamento feito pelo site FiveThirtyEight em agosto, Hillary tinha a preferência de 86% do eleitorado negro em todo o país; Trump, só 2%.

No entanto, grande parte dos eleitores consultados pela reportagem confessou não ter a mesma empolgação pela democrata. Em Maple Heights, subúrbio majoritariamente negro de Cleveland, poucas casas ostentam placas da candidata no jardim.

Leia Mais