Fidel Castro reaparece em público após um ano e quatro meses

O ex-presidente de Cuba Fidel Castro, 88 anos, fez hoje (4) sua primeira aparição pública nos últimos 14 meses. Na segunda-feira (30), ele se encontrou com um grupo de 33 venezuelanos em uma escola de Havana. O grupo visitava a escola a convite do Instituto Cubano de Amizade com os Povos (Icap).

De acordo com o jornal Granma, órgão oficial do Partido Comunista de Cuba, o encontro durou uma hora e meia. “É preciso trabalhar rapidamente, reunir muitas assinaturas destinadas ao presidente [Barack] Obama, de modo que a Venezuela deixe de ser considerada uma ameaça para asegurança dos Estados Unidos”, declarou Fidel aos visitantes, segundo informações do Granma.

Fotos divulgadas pelo diário cubano mostram Fidel dentro de um veículo, acenando para os venezuelanos. “Fidel está cheio de vitalidade. Afirmam que esta é a definição mais recorrente dentro do grupo de amigos que o viram e puderam conversar com ele”, diz um trecho da publicação.

Fonte: Folha de S. Paulo

Leia Mais

Homens da Lava Jato pousam como heróis para Folha de S. Paulo

Os procuradores que integram a força-tarefa da Operação Lava Jato posaram para uma foto que promete dar o que falar. Estampada na primeira página da Folha de S. Paulo, a imagem contribui para espetacularização do Poder Judiciário e retrata os representantes do Ministério Público como os heróis de “Os Intocáveis”, personagens de um filme que fez sucesso em Hollywood, na década de 90.

Na imagem atual, o procurador Deltan Dellagnol, aparece ao centro, ladeado por seus colegas na investigação – ao todo, são nove os investigadores. No filme hollywoodiano, o mocinho era Kevin Costner, que lutava contra o poder de Al Capone.

A reportagem traz também declarações interessantes dos procuradores. Carlos Fernando Lima, um dos principais nomes da investigação, diz que o blefe foi uma das táticas para convencer alguns empresários a fazer delação premiada. “No começo, lançamos um grande 171: espalhar que já tinha gente na fila para colaborar, deixamos as pessoas saberem que já tinha uma pessoa ou empresa interessada, mas a gente não tinha nada. Aí começaram a bater na nossa porta”, disse ele.

Os procuradores também fazem dois apelos. O primeiro, para que os executivos e empresários presos há mais de 120 dias, de forma preventiva, não sejam soltos pelo Supremo Tribunal Federal. O segundo, para que os acordos de leniência negociados pela Controladoria-Geral da União com as empresas, que preveem o pagamento de multas, mas preservam vivas as construtoras, sejam inviabilizados.

“Se houver a soltura de réus agora, muitos deles com dinheiro sujo escondido no exterior, esses processos podem ser atrasados por dez, quinze anos”, disse Deltan Dellagnol.

“A CGU foi feita para controlar corrupção de funcionários públicos, não para ser a salvadora do emprego. Se o governo quer criar um Proer, que o faça no lugar certo, que é o Congresso”, completou Carlos Fernando Lima.

O argumento do governo para negociar os acordos de leniência é a necessidade de preservar as empresas, os empregos e o conhecimento adquirido pelas empreiteiras. Desde o início da Operação Lava Jato, mais de 250 mil empregos foram eliminados no setor de construção.

Fonte: 24/7

Leia Mais

Acordo histórico com Irã é inferior ao de Lula feito em 2010

Cinco anos atrás, o Itamaraty costurou um acordo diplomático com o Irã e a Turquia, que impunha estrita vigilância sobre o programa nuclear iraniano. O acordo previa que o Irã enviasse à Turquia 1,2 mil kg de urânio de baixo enriquecimento para que fosse substituído por urânio enriquecido a 20% para ser usado em pesquisas médicas. Pelo acordo, haveria supervisão de inspetores turcos e iranianos. À época, Lula classificou o entendimento como “uma vitória da diplomacia”, num momento em que países ocidentais, influenciados por Israel, ameaçavam bombardear o Irã.

“Foi uma resposta de que é possível, com diálogo, a gente construir a paz, construir o desenvolvimento”, disse Lula. “Há um milhão de razões para a gente ter argumento para construir a paz e não há nenhuma razão para a gente construir a guerra. O Brasil acreditou que era possível fazer o acordo. Mas o que é importante é que nós estabelecemos uma relação de confiança. E não é possível fazer política sem ter uma relação de confiança”, disse.

Aquele acordo, no entanto, não foi implementado por ter sido sabotado por países ocidentais. Alegava-se que o Irã não iria cumpri-lo e que o Brasil, além de ingênuo, estaria se metendo num território proibido, para o qual não havia sido chamado.

Nesta semana, no entanto, os países ocidentais assinaram na cidade de Lausanne, na Suíça, um acordo que foi classificado como “histórico” pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Segundo Obama, o acordo evita, definitivamente, que o Irã tenha a bomba atômica – embora o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu diga o contrário.

Ocorre que o acordo de Obama é bem menos ambicioso do que o negociado por Lula em 2010, conforme aponta o jornalista Clóvis Rossi, especialista em questões internacionais, em seu artigo publicado na Folha neste domingo.

“Se os Estados Unidos tivessem levado a sério o acordo Brasil/Turquia/Irã de 2010 em torno do programa nuclear iraniano, o mundo teria perdido menos tempo e enfrentado menos dificuldades ao enfrentar o tema. É a conclusão que emerge após o acordo preliminar da quinta-feira (2) entre as seis grandes potências e o Irã”, diz ele no textoQuando o Brasil não foi ‘anão diplomático’.

Fonte: 24/7

Leia Mais

Zenaide Maia aproveita o feriado para participar de filiação partidária em Messias Targino, terra de Shirley Targino

Ato polÃ-tico

Mesa das autoridades

Na manhã deste Sábado de Aleluia (04), a deputada federal Zenaide Maia (PR/RN), participou de um ato político de filiação do Partido da República no município de Messias Targino, na região do Médio Oeste. O evento aconteceu na sala de sessão Raimundo Nonato Jales, na Câmara de Vereadores do município.

Na ocasião estiveram presentes além da deputada Zenaide Maia, o ex-deputado e presidente do PR, João Maia, a presidente do PR Mulher, Shirley Targino, o prefeito Arthur Targino (PMDB), o vice-prefeito Pôla Pinto, os vereadores, Anderson Silva e Juscelino Jales, além de correligionários do PR, PMDB, PDT e PP.

Durante sua fala, a deputada Zenaide Maia ressaltou a importância do trabalho dos vereadores, como representantes do povo, na política municipal na luta pelo bem estar da população. “Quando nossa casa, nosso vizinho, nosso amigo, nossa cidade estão passando por dificuldades é hora de nos unirmos e ajudar. Temos de pensar no todo e é nisso que o representante político deve fazer. Como deputada federal estou aqui para reafirmar o meu compromisso com esse município. A maior preocupação é não decepcionar aqueles que me colocaram na Câmara. Estou aqui para agradecer e dizer: parabéns Messias Targino pelos seus representantes e independente de partidos, cor ou raça, devemos darmos as mãos e lutar pelo município”, disse a deputada.

Fotos: divulgação

Leia Mais

Lava Jato e ajustes na economia reduzem ritmos de obras no Brasil

 Os desdobramentos da operação Lava Jato e o ajuste fiscal comandado pelo ministro Joaquim Levy para retomar o crescimento da economia do Brasil fizeram as despesas com obras de infraestrutura e compras de equipamentos caírem no Tesouro Nacional, nas estatais federais e em Estados como São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

Segundo levantamento divulgado pela Folha neste domingo, 5, os investimentos com recursos do Tesouro desabaram no primeiro bimestre de 2015, quando somaram R$ 11,2 bilhões, numa queda de 31,3% em relação ao montante dos primeiros dois meses de 2014, já descontada a inflação.

Na mesma base de comparação, os desembolsos das estatais federais caíram 23,7%, atingindo R$ 12,1 bilhões. A redução foi puxada pela Petrobras, que responde por cerca de 90% do gasto total. Alguns projetos da estatal foram até cancelados, como a refinaria Premium 1 (MA).

Há quedas também entre os Estados, que contabilizam apenas os recursos do Orçamento corrente –o governo federal inclui também as despesas remanescentes de Orçamentos anteriores.

Em São Paulo, onde o governador tucano Geraldo Alckmin foi reeleito, os investimentos caíram 17,1% no primeiro bimestre na comparação com os valores corrigidos do mesmo período de 2014. Em Minas, onde houve troca de comando, o petista Fernando Pimentel parou integralmente os desembolsos –ao menos os programados para este ano. O balanço do Estado registra apenas R$ 19 mil investidos no semestre.

Fonte: 24/7

Leia Mais

Governo de SP cria gabinete de crise para acompanhar incêndio de Santos

O governo de São Paulo instalou na prefeitura de Santos um gabinete de crise para acompanhar e tomar providências em relação ao incêndio nos depósitos da Ultracargo. Fazem parte do grupo o vice-governador, Márcio França, os secretários de Governo, Saulo de Castro; da Casa Militar, José Roberto Rodrigues de Oliveira; da Segurança Pública, Alexandre de Moraes; e do Meio Ambiente, Patrícia Iglecias. Também integram o comitê o comandante do Corpo de Bombeiros, Marco Aurélio Alves Pinto, e o subsecretário de Comunicação, Marcio Aith.

O incêndio nos tanques de etanol e gasolina, localizados no bairro da Alemoa, começou na manhã da última quinta-feira (2). Ontem (4) o fogo atingiu mais um reservatório de gasolina. Nesse momento, quatro tanques estão em chamas. Na mesma bacia de contenção há mais dois tanques. Um deles está vazio e o outro contém etanol. Nenhum deles foi afetado até o momento.

Uma equipe de 93 homens do Corpo de Bombeiros se reveza no combate ao incêndio. Os trabalhos estão focados no resfriamento do tanque que contém etanol, com o objetivo de deter a propagação do fogo. De acordo com a empresa, o incidente prossegue sem mortos e feridos.

Segundo o porta-voz do Corpo de Bombeiros, Marcos Palumbo, já foram utilizados 4 bilhões de litros de água retirada do mar para conter as chamas.

“O risco principal é o de pegar em outro tanque, tendo em vista o calor de 800 graus. Não é fácil fazer a extinção desse fogo, mas já evoluímos bastante resfriando os outros tanques”, disse em entrevista hoje. Devido ao incêndio, um dos acessos ao Porto de Santos foi bloqueado pelas autoridades.

Fonte: 24/7

Leia Mais

Janot pode ter desistido de sua recondução à PGR

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, não parece disposto a adiar denúncias contra políticos acusados de envolvimento no escândalo da Petrobras para barganhar sua recondução ao cargo. As informações são da jornalista Vera Magalhães, da coluna Painel:

Nem aí Ministros do Supremo e procuradores que acompanham a Lava Jato apostam que Rodrigo Janot apresentará as denúncias contra políticos antes de setembro, quando pode disputar a recondução ao cargo de procurador-geral.

Guerra fria Hoje, observadores classificam como “remota” a manutenção de Janot no cargo, uma vez que senadores que são alvo da operação precisariam aprová-lo.

Fonte: 24/7

Leia Mais